quarta-feira, 12 de novembro de 2008

O Menino Que Sonhava...


Sonhava ser pão e foi bomba
Rebentada em mil estilhaços
Levando consigo as carcaças
D'outros pães em mil pedaços
Ao forno inferno sem pomba
Sonhou ser forte, ser bravo
Dono d'um império inteiro
Ser médico, pintor, advogado
Só lhe deixaram ser guerreiro
E d'uma guerra ser escravo
Sonhou ser Deus, ser heroi
E é tudo o que não quis
A ferida que n'outros abre
Marca-lhe o rosto, infeliz
E é na sua alma que doi...
Sonhou ser tanto, mas tanto
Sonhou ser tudo e é nada
Escondido nas sombras do medo
Nem a morte lhe é revelada
Nem a vida lhe causa pranto
Sonhou ser poeta sensivel
E no Homem ter esperança
E nem sabe se está vivo!
Se é homem ou criança!
Se outro viver é possivel...!
Já não é capaz de sonhar
A morte dorme-lhe ao lado
O sono acorda-o em sobressalto
A vida nao tem significado..
- Acorda! Tens de matar!

Um comentário: